“A escola é uma extensão da sua casa, trate-a bem, que ela lhe renderá muitos frutos.”
Gustavo Bottaro
( aluno do curso pré-vestibular colégio Meta do ano de 2011)

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Atividade de sociologia GABARITO

1- E

Resolução:
No modo capitalista de produção, para otimizar o desempenho dos trabalhadores e assim aumentar a produção e a mais-valia (excedente de trabalho não remunerado, em uma análise marxista), é feita uma divisão do processo produtivo em pequenas partes, que impossibilitam ao trabalhador ter noção de sua importância no processo total. A isto Marx chamou de alienação do trabalho do operário, pois este recebe valores inferiores ao trabalho desempenhado (o que origina o lucro do patrão) e nem mesmo tem consciência do resultado de sua atividade laborativa.

2-C
As alternativas trabalham o conceito de mais-valia em Marx. A mais-valia é a base do lucro do capitalista. A simples transformação das matérias-primas em produtos industriais não traz lucro, pois apenas modifica um objeto em outro. O que agrega valor ao produto finalizado é o trabalho exercido. Como o capitalista não paga ao trabalhador o valor integral de seu trabalho, esta diferença (a mais-valia) se transforma em lucro para o primeiro.

3-A
A Revolução Russa de 1917 é a primeira experiência real de implantação de uma sociedade comunista. Na época, significou a esperança em um modelo de sociedade mais solidário e igual para todos, o que serviu para impulsionar movimentos socialistas por todo o mundo. Dizer que mudou a mentalidade do operariado em um sentido individualista é errado, assim como afirmar que criou tolerância para o capitalismo, sistema econômico com o qual acirrou disputa ideológica. Por fim, a alternativa E está errada porque fala em propriedade privada e ascensão da burguesia, elementos que não pertenciam ao universo do socialismo.


4-C
A afirmativa I está errada porque o comunismo não significa o fim do trabalho, mas apenas a solidarização dele ao invés da exploração capitalista; a afirmativa II também está errada, o socialismo não está vinculado à estagnação do desenvolvimento produtivo, como ficou claro nos acertos e erros da experiência soviética no século XX; a afirmativa III está correta, o capital tende a desqualificar o trabalho, culminando com a alienação do trabalhador e de sua força de trabalho; a afirmativa IV também está correta, o capitalismo é um sistema que depende de desenvolvimento produtivo contínuo. E justamente por isso torna-se um risco social e ecológico tão grande.


5-A

O conceito utilizado por Marx para nomear a situação de estranhamento do trabalhador com relação ao processo produtivo e ao papel que ele exerce chama-se alienação. Ideologia é, resumidamente, um falseamento da realidade; estratificação é o escalonamento social em grupos, por motivos econômicos ou de status; anomia social é a definição que Durkheim utitliza para uma situação de falta de normas e, portanto, de desordem social; por fim, identidade social é a representação (o papel) que uma pessoa possui em determinado grupo.

6-B

A afirmativa A está errada porque, como todo produto na sociedade capitalista, os de informática também estão voltados ao lucro e dependem da lógica de acumulação do capitalismo.
A afirmativa B está correta porque o desenvolvimento de softwares e de produtos para a venda atende a uma lógica privada de ganho, ao passo que o desenvolvimento de softwares de uso público atende a uma lógica de socialização do acesso à informação.
A afirmativa C está errada porque os elementos referidos têm como fim o lucro do capital e não o uso social.
A afirmativa D está errada porque o acesso a produtos informacionais depende de determinantes financeiros.
A afirmativa E está errada, esses sistemas não possuem como meta a apropriação pública, mas o ganho, embora ambas possam acontecer.

7- 01 + 02 + 08 + 16 = 27

A afirmativa 04 está errada porque Marx não via cooperação nas relações de classe, mas sim disputa. Em sua teoria do materialismo histórico, que coloca a esfera econômica como determinante das relações sociais, aparece o conceito que ficou conhecido como dialética marxista: a sociedade estaria continuamente se organizando a partir da disputa pelos bens materiais, a cada vez que um grupo sobrepusesse o outro e se tornasse o detentor dos bens da sociedade, surgiria um novo grupo em disputa por esses bens, num contínuo processo de dominação e disputa que corresponderiam as noções dialéticas de tese (posse do bem), antítese (disputa pelo bem) e síntese (nova posse do bem).

8-A
a) Verdadeira: Marx ressaltava as condições sociais e a exploração que existia no mundo capitalista, criando a luta de classes.
b) Falsa: Marx não negava o valor das invenções da época, mas não afirmava sua necessidade para acabar com o liberalismo.
c) Falsa: Para Marx, o Estado deveria ser extinto, para depois se chegar a uma sociedade sem classes sociais.
d) Falsa: Marx não tinha saudades dos princípios mercantilistas. Difundia o fim dos privilégios e uma sociedade socialmente justa.
e) Falsa: O pensamento de Mark denunciava as desigualdades e as péssimas condições de vida do operário.

9-D

O modo de produção capitalista, em uma visão marxista, é marcado pela relação entre o trabalho assalariado e o capital que o compra. Para Marx, na sociedade capitalista os trabalhadores foram despojados dos meios de produção (que ficaram em posse do capital) mantendo para si apenas sua força de trabalho. Esta, por sua vez, precisa ser vendida para que ele consiga sua subsistência; e do valor inferior pago por ela resultaria o lucro do capitalista (mais valia).

10-E

A única alternativa que não corresponde ao pensamento de Marx é a E, pois refere-se ao conceito de Durkheim de solidariedade orgânica e mecânica. Marx entendia que a divisão do trabalho social se dava por meio de oposições e a história dessas relações conflituosas é que define a maneira como a sociedade se apresenta. Ou seja, para ele, não é um processo de solidariedade.

11-B

A afirmativa B está errada, pois, na análise marxista, o Estado é o representante dos interesses da classe economicamente dominante – no caso, a burguesia. Portanto, ele está sujeito ao mesmo processo de mercantilização. Para o raciocínio marxista, as relações materiais determinam as demais esferas de relaçôes sociais (religião, cultura, política). Havendo a dominação econômica de uma classe sobre outra e prevalecendo um modo de produção social baseado nela, os seus efeitos serão sentidos também pela dominação política.

12- INDICATIVO DE RESPOSTA:
A contradição social é fruto da existência de desigualdades e conflitos entre classes sociais: os proprietários dos meios de produção (que no capitalismo são os capitalistas) e os não proprietários dos meios de produção (que no capitalismo são os vendedores da força de trabalho). As duas classes fundamentais estabelecem entre si relações de oposição, antagonismo e exploração, havendo um permanente conflito entre ambas por possuírem interesses diferentes em relação ao processo de produção sociocultural.

Nenhum comentário:

Postar um comentário